Monthly Archives: July 2007

O país é repleto de ruínas, porém duas se destacam: a mítica cidade de Tróia e a bem-conservada Efesus. Da primeira, pouco restou da grandiosidade retratada em Ilíada. Tróia foram nove cidades, sucessivamente conquistadas, destruídas e reconstruídas, uma por cima da outra. Hoje em dia há pouco que se ver: ainda há 65% da cidade para ser escavada, mas os arqueólogos não têm conhecimento sobre o que ainda está ali e terão que destruir as camadas superiores se quiserem chegar nas inferiores. Já Efesus é uma viagem ao antigo Império Romano. As ruínas da cidade estão em excelente estado de conservação e contam até com um banheiro público, que rende fotos impagáveis, e um bordel.  

Efesus

Mas a Turquia não é só ruínas. Existe uma natureza singular e exuberante pronta para ser explorada pelo viajante. Sakilikent Gorge é uma montanha que partiu no meio devido a um terremoto e hoje e possível caminhar em seu interior, que por vezes não chega a medir 10 metros de distância entre um lado e outro. E não se esqueça, estamos no Mediterrâneo, que conta com dezenas de praias com paisagens de propaganda de cartão de crédito. E se você cansar de hotéis e albergues não se preocupe: casas na árvore são acomodações bastante comuns. O Kadir’s, albergue onde fiquei em Olympos, não só tinha acomodações à lá Tarzan como até uma boate nas suas dependências. Um conselho: escolha o quarto mais longe possível da boate, casas na árvore têm o seu charme, mas não oferecem um bom isolamento acústico. E peça um Cherry Ribe, simplesmente o melhor coquetel que já experimentei na vida.

A paisagem mais espetacular da Turquia, porém, é a da Capadocia, com suas formações rochosas conhecidas como chaminés de fadas e cavernas construídas para moradia, quentes no inverno e frescas no verão. Quando o cristianismo ainda era uma religião subversiva, há dois milênios atrás, os cristãos construíram cidades subterrâneas para se esconder da perseguição, algumas com até 100 capelas cujos afrescos você pode ver até hoje. É possível explorar a paisagem da religião à pé, de bicicleta, de scooter e à cavalo. Mas eu escolhi voar de balão. Tive que acordar às 6h da manhã, custou o equivalente a um mês de aluguel, mas foi uma experiência extraordinária. Ao contrário do que imaginava, não senti medo ou adrenalina de voar a mil metros de altura: a sensação de paz e tranqüilidade é tão grande que é possível escutar os cachorros latindo e as pessoas conversando em terra. dsc02279.jpg

No mesmo dia em que voei de balão tive outra experiência autenticamente turca: o hamman. Essencial para a purificação semanal na religião muçulmana, os hammans são os famosos banhos turcos. Sumptuosos e elegantes, estes banhos encerram vários significados sociais. O mais importante é o de servir de ponto de encontro: é neles que as mulheres costumam observar e “capturar” as futuras esposas dos seus filhos. Além do significado sócio-cultural, os hammans trazem igualmente importantes benefícios terapêuticos.

Mediterrâneo

Outra experiência altamente recomendável é a culinária turca. Menemen, espécie de ovos mexidos com diversos ingredientes, era fundamental no café da manhã. A pizza turca tradicional se chama pide até o kebab, velho conhecido de quem viaja para a Europa com pouco dinheiro, é diferente na sua terra natal. Kebab que se preza é no espeto. Outra  instituição turca é o chá de maçã, oferecido por onze entre dez vendedores que você vai encontrar. Simpáticos e espertíssimos, eles vão te chamar de meu amigo, comentar sobre futebol e te fazer comprar coisas pela metade do preço inicial oferecido, mas ainda assim você vai achar que foi enganado. Aliás, nenhum artigo à venda na Turquia já vem com o preço na peça.  Pergunte e se prepare para negociar. Esteja pronto para ser abordado em qualquer lugar por vendedores, taxistas, guias, garçons e pessoas de profissão meio indefinida na rua. Se você for mulher, redobre sua paciência – além de te oferecerem produtos e serviços você será olhada como um pedaço de carne no açougue. O assédio é menos comum em cidades litorâneas, acostumadas a hordas de europeus, mas incomoda mesmo em lugares como Istambul. Leve seu Ipod e ignore os vendedores te chamando, mas não perca a oportunidade de conhecer esse país de surpresas e contrastes que é a Turquia. 

Advertisements

2 Comments

Filed under Artigos